Entenda melhor a análise de solo realizada no laboratório da Cocatrel



A análise química do solo é um dos métodos de avaliação da fertilidade do solo. Basicamente, essa análise consiste em agitar uma amostra de solo, com uma solução extratora, durante um tempo definido. Em seguida, separa-se o extrato, do qual são determinados os teores de elementos constituintes. Portanto, essa análise química compreende duas fases distintas: a extração do nutriente e sua determinação no extrato.


A solução extratora recebe a denominação de extrator químico e sua capacidade de extração de nutrientes, de diferentes extratores, é variável. A fração que é extraída é denominada “disponível”, pois ela deve correlacionar-se com a quantidade do nutriente extraído pelo vegetal. O laboratório de análise de solo da Cocatrel utiliza uma metodologia empregada em vários laboratórios de análises do Brasil. O objetivo deste artigo é entender o que é determinado em nosso laboratório.


Quando nos referimos à análise de rotina, também chamada de análise básica ou de fertilidade, determinamos o índice de acidez (pH), os teores de fósforo, potássio, cálcio, magnésio, alumínio e acidez total (H+Al) do solo. Com estes valores em mãos, já conseguimos calcular a quantidade de calcário a ser usada e o tipo de calcário. Calculamos também a quantidade de fósforo (Super Simples, MAP, etc.) e potássio (cloreto, NPK, etc.).


Visando agregar informação ao produtor e ao técnico, estamos incluindo no pacote da análise de rotina a determinação do boro (borax, ulexita, ácido bórico, etc.) e do enxofre (Gesso, Sulfato, etc.). Esses nutrientes colocados no solo, têm nos dado respostas produtivas muito significativas, portanto, é de suma importância conhecermos seus níveis no solo.


Outra determinação comum em nossa região é a de matéria orgânica, excelente opção para a manutenção ou mesmo o aumento da fertilidade do solo. A matéria orgânica no solo é fundamental para a sustentação da lavoura agrícola pois ela atua como uma fonte de energia e de nutrientes para os organismos que participam de seu ciclo biológico, exercendo um importante papel na fertilidade e na produtividade. Ela Influencia direto na capacidade de troca de cátions do solo (CTC), no resultado de solo do laboratório da Cocatrel, representado pela letra (T), retenção de umidade, estruturação do solo e manutenção da biodiversidade. Além disso, a matéria orgânica contribui para a diminuição da fixação de fósforo no solo.


Não menos importante são as análises de micronutrientes (zinco, cobre, ferro e manganês) que nos permitem fazer um ajuste fino ou até mesmo um direcionamento nas utilizações das pulverizações foliares. Outra determinação importante é o fósforo remanescente (Prem) introduzido como critério auxiliar e fundamental para interpretação da disponibilidade de fósforo e enxofre no solo. É uma medida que reflete o teor e a qualidade da argila do solo. Solos com menores valores de Prem retêm o fósforo em maior quantidade e com mais energia. Consequentemente, esses solos restringem mais a liberação do fósforo (P) disponível para planta do que os solos com maiores valores de Prem.


Em resumo, a análise básica que fazemos é rotina + boro + enxofre. Além da básica, o cooperado pode acrescentar o elemento que ele quiser até chegar em uma análise completa. Na análise completa, acrescida do fósforo remanescente (Prem), denominamos completíssima.


Portanto, ao chegar com o material a ser analisado no laboratório da Cocatrel, o cooperado tem ao seu dispor uma gama de análise, inclusive de folhas, fertilizantes e corretivos que o permite auxiliar na tomada de decisão, definindo o que comprar e quanto comprar, objetivando uma colheita máxima econômica sem, contudo, desrespeitar as peculiaridades de cada sistema de produção.


Denilson Esteves de Oliveira – Resp. Laboratório da Cocatrel

126 views
Copyright (c) 2018 COCATREL. Todos os direitos Reservados