Manifesto pelo início da construção da terceira pista na MG167 é entregue para o Governador Fernando


O Manifesto publicado pela Cocatrel em suas redes sociais, onde a cooperativa cobra do governo uma solução para a situação da MG167, trecho que liga Três Pontas a Varginha, foi assinado pelo prefeito de Três Pontas, Luiz Roberto Laurindo Dias e, pelo presidente da Cocatrel, Francisco Miranda e, entregue em mãos, juntamente com uma cesta de produtos Cocatrel, ao governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, durante abertura da Semana Internacional do Café, em Belo Horizonte.

“Não iremos descansar até que alguma solução seja realmente tomada e essa situação seja resolvida definitivamente”, afirmou Francisco Miranda.

Segue manifesto:

MG 167: até quando ficaremos sem resposta?

Não é de hoje que a promessa da construção da terceira pista na rodovia MG167, no trecho que liga Três Pontas a Varginha, vem sendo prometida e nada sai do papel.

O Governador Fernando Pimentel esteve em Varginha e anunciou o início das obras de duplicação do trecho que liga Varginha à Fernão Dias, em Três Corações. Mas sobre as reivindicações e promessas, em relação à MG 167, que nos dá a impressão de terem tornado apenas ferramentas para a eleição de vários políticos, que usaram dessa nossa necessidade como metas de suas campanhas, nada foi feito ou falado.

Há muitos anos a Cocatrel vem cobrando das autoridades competentes uma solução para esta estrada. Com um traçado extremamente sinuoso e perigoso, ela tem vitimado muitas pessoas que necessitam daquela via. Além disso, a rodovia é uma importante via de escoamento da produção agrícola e por isso o tráfego de caminhões pesados é intenso. “Varginha é hoje, devido ao porto seco, o principal centro de comercialização de café do país. Nesta estrada, principalmente nos meses de safra, é muito grande o tráfego de veículos e, principalmente, de caminhões. Não havendo a terceira pista, além de muito perigosa, ela passa a ser extremamente lenta, por não possuir muitos pontos de ultrapassagem e nem acostamento. Esta obra da terceira pista tem que ser levada a sério e colocada como prioridade pelos nossos governantes. Quantas vidas já foram perdidas ali”? Indaga Francisco Miranda de Figueiredo Filho, presidente da Cocatrel.

As promessas vêm de longa data. Em 2013, a construção da terceira faixa na MG-167 foi tema da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, realizada em Três Pontas, no auditório da Cocatrel. Vários deputados e políticos da região estiveram presentes nesse encontro. “Com toda a certeza o governo está priorizando essa rodovia, que é considerada de alta periculosidade e merece investimentos”, afirmou o diretor do Departamento de Estradas e Rodagem (DER), da época, José Élcio Monteze. Naquela ocasião, outro tema também foi abordado. O então secretário de Estado de Obras, Carlos Melles, disse que o governo lançaria, naquele ano, “um lote do Programa Caminhos de Minas, dando autorização para a realização da licitação de obras de outros trechos, incluindo dois anseios de Três Pontas: o primeiro é o que liga o município a Paraguaçu, passando pelo Distrito do Pontalete e, o outro, de Três Pontas à Fernão Dias, passando por Carmo da Cachoeira.

Em 2014, o ex governador Antônio Anastasia esteve em solenidade oficial, em Varginha, para a assinatura da celebração de mais uma etapa do Programa de Recuperação e Manutenção Rodoviária do Estado de Minas Gerais (ProMG). No encontro realizado no Colégio Marista, Anastasia também autorizou o início do projeto de engenharia para adequação de capacidade do trecho de 27,5 quilômetros, da MG 167, entre Varginha e Três Pontas, incluídos no Programa Caminhos de Minas.

Nesta ocasião, novamente falando sobre o trecho Três Pontas/Varginha, Melles explicou que a situação da rodovia preocupava o governo e que tratou como prioridade a melhoria da trafegabilidade do local. Ele disse que houve uma pequena paralisação, por problemas administrativos, mas que o projeto estaria em andamento.

Enfim, de promessas e afirmações já estamos cansados. Tentamos contato com a atual Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (SETOP), mas não obtivemos retorno. Não queremos mais politicagem e sim respostas e certezas. “Um município não cresce sem estradas. No passado, fomos ilhados pela Represa de Furnas e, agora, estamos perdendo a oportunidade da vinda de muitas empresas para Três Pontas. Além disso não temos como escoar propriamente nossos produtos. A verdade é que nossa cidade tem crescido pela força de vontade do seu povo. Precisamos de uma solução para esta vergonha chamada MG 167”, ressalta Francisco Miranda.

E as perguntas que fazemos são exatamente estas: onde estão, nessa hora, os deputados eleitos pelos cidadãos trespontanos, principalmente aqueles que tiveram a maioria dos nossos votos? Até quando continuaremos a perder vidas e oportunidades? Até quando seremos ludibriados por promessas? Até quando ficaremos sem respostas???

*A Assessoria de Comunicação da Cocatrel utilizou como fonte o extenso arquivo de matérias sobre a MG167 dos blogs Conexão Três Pontas, Sintonize Aqui e Equipe Positiva, além do site G1.


210 views
Copyright (c) 2018 COCATREL. Todos os direitos Reservados