Grupo de estudantes africanos realiza visita técnica na Cocatrel


Um grupo formado por 38 estudantes de agronomia, de oito países da África (Benin, Burquina Faso, Burundi, Camarões, Chade, Costa do Marfim, Senegal e Togo), visitaram os armazéns da Cocatrel e o Laticínio para aprender um pouco mais sobre o sistema de cooperativismo, as técnicas aplicadas no café, a captação de leite da cooperativa e como nossos produtos são fabricados.

Acompanhados do professor da Ufla e responsável pelo projeto, Antônio Carlos Fraga e por um dos colaboradores da cooperativa Marcelo Vitor de Brito, o grupo foi direcionado primeiramente para os armazéns, onde viram o descarregamento de café, como é feita a classificação do grão e o armazenamento em big bags. Depois foram recepcionados pelo presidente da Cocatrel, Francisco Miranda, que contou lhes a história da cooperativa, os princípios do cooperativismo, as grandes mudanças que o café sofreu nos últimos anos, as inovações e adaptações, desde as sacarias para bags.

“Esta troca de experiências entre Cocatrel e estudantes estrangeiros, é tão válida que além de mostrarmos um pouco sobre a Cocatrel também aprendemos muito com a cultura deles para buscarmos sempre melhorar nosso sistema e nosso produto”, ressaltou o presidente.

Na sequência, o grupo visitou as terras do cooperado Rui Brito. Eles viram de perto o cafezal e puderam tirar suas dúvidas quanto ao plantio, podas, adubação, safra, colheita, tempo e manejo de secagem no terreiro e ainda entenderam como o grão, assim que sai do pé, chega até a cooperativa e depois é transformado na bebida preferida da região.

Seguindo o cronograma, eles foram direcionados para o Laticínio e foram recebidos pela Supervisora de Qualidade e Produção Marina Corrêa Brito. Ela explicou todos os processos desenvolvidos pela Cocatrel, desde a coleta do leite, a pasteurização e depois a fabricação dos produtos: queijo, manteiga e iogurte. Os estudantes também puderam conhecer o novo pasteurizador adquirido pela cooperativa e viram na prática as técnicas aplicadas na coleta do leite e suas análises.

Antes de encerrar as atividades, os estudantes foram à Cafeteira Cocatrel para experimentar os cafés e queijos da cooperativa.

“Eu achei a visita muito interessante, principalmente de ver como é a organização dos produtores, e como isto permite que ele tenha uma renda melhor, produtos de boa qualidade e destaque na região. Também gostei de saber que o produtor pequeno tem os mesmos benefícios do grande produtor, e isto faz toda a diferença para nós que estamos começando em nosso país uma nova cultura” concluiu a estudante Fatimata Diouf.

Já para o africano Charles Nequiem “a vontade que os produtores têm aqui para melhorar é o que está faltando em Béli. Então, o meu intuito é chegar à Costa do Marfim e implementar e organizar os produtores do meu país da mesma forma que é aqui no Brasil”, disse.

O grupo continua no Brasil por mais dois meses. Eles fazem o curso de capacitação e transferência de tecnologia na cultura do algodão para profissionais estrangeiros desenvolvido pela Universidade Federal de Lavras (Ufla). Para o professor Antônio Carlos Fraga, organizador do curso, o projeto proporciona a oportunidade de ensino e troca de experiências. “Essa visita é muito importante, pois o clima do Brasil se assemelha com o que eles têm na África, dessa maneira eles poderão aplicar as técnicas vistas por aqui, melhorando o modo de plantio", disse.

Confira mais fotos no facebook da Cocatrel: https://www.facebook.com/cocatrel/


83 views
Copyright (c) 2018 COCATREL. Todos os direitos Reservados