Agosto de 2021: Preços médios de café ficam acima de R$ 1 mil a saca

Agosto de 2021: Preços médios de café ficam acima de R$ 1 mil a saca

Agosto de 2021 foi mais um mês da alta nos preços do café. O mês fechou com preços médios acima de R$ 1 mil a saca de 60kg, algo que acontece pela primeira vez no ano. Assim, a evolução das médias semanais para o padrão COC 3 (bebida dura limpa com 10% de catação) apresentou-se da seguinte maneira: primeira semana a R$ 992; segunda semana a R$ 1.036; terceira semana a R$ 1.045; e quarta semana a R$ 1.074. O preço médio do mês ficou em R$ 1.036, acima do mês de julho, que apresentou média de R$ 935.

Segue uma tabela que mostra a evolução dos preços médios semanais no mês de agosto:

Vale lembrar que, após a geada ocorrida no dia 20 de julho, o mercado apresentou alta significativa – e os últimos sete dias do mês de julho apresentaram cotações para o COC 3 na média de R$ 1.064 a saca. Desse modo, três das semanas de agosto de 2021 ficaram abaixo dos sete últimos dias de julho, que refletiram a percepção imediata da geada. O menor preço pago ao produtor para o padrão COC 3 aconteceu no dia 2, a R$ 980; e o maior preço aconteceu no dia 30, quando atingiu R$ 1.115, superando o melhor preço de julho, quando o mercado pagou, no dia 26, R$ 1.100 pela saca de café.

No ano de 2021, os preços fizeram um canal de alta, com preços médios do mês superando os respectivos meses anteriores. O quadro a seguir apresenta os preços para os meses, de janeiro a agosto, do índice Cepea/Esalq:

As explicações para a alta ocorrida durante os meses de 2021 estão associadas a três fatores básicos: 1) a seca de 2020, que afetou a safra de 2021 provocando uma quebra acima das expectativas; 2) a geada de 20 de julho, que embora não prejudique a safra atual provoca efeitos na safra de 2022 e outras, já que parte importante do parque cafeeiro brasileiro foi comprometido; e 3) estiagem prolongada no ano de 2021, que também provocará problemas para a safra de 2022.

Somado a isso, há ainda a questão dos estoques de café, que são considerados baixos, no Brasil, demais países produtores e também nos países consumidores. Por tudo isso, o mercado segue firme, indicando que deveremos ter um ciclo de preços favoráveis para as próximas temporadas.

Lucio Caldeira

Lucio Caldeira

Lúcio Caldeira é professor, palestrante, consultor e escritor, atuando nas áreas de Marketing e Gestão Estratégica. É autor dos livros: A Guerra do Café; Revoluções no Café; e Batalhas do Futebol. Atua como comentarista do programa de TV - Café com TV, com os blocos – “Palavra do Especialista” e “Café e Cultura” da TV Alterosa/SBT, e é colunista da Revista Cocatrel, com as colunas: Opinião; “E por falar em Café” e “Mercado do Café”. Professor no Unis, é formado em Administração, especialista em Finanças, Mestre em Estratégia e Doutor em Marketing.

Deixe uma resposta