Novembro de 2020: relatório do mercado de café

Novembro de 2020: relatório do mercado de café

Basicamente o mês de novembro de 2020 pode ser entendido em função de dois períodos. As duas primeiras semanas foram uma sequência da estabilidade apresentada durante todo o mês de outubro. As duas últimas semanas foram de recuperação nos preços. Assim, um café de bebida dura com sessenta defeitos foi negociado no dia 3 de novembro a R$ 535 a saca e no dia 30 de novembro a R$ 625 a saca.

Em Nova Iorque, para o vencimento dezembro, as cotações foram de 105 c/lb e 108,5 c/lb para as duas primeiras semanas. A média foi de 106,75 c/lb, que foi praticamente a média do mês de outubro, que fechou em 107,25 c/lb. Nessas duas semanas iniciais, o dólar caiu de R$ 5,61 para R$ 5,41 e os preços pagos ao produtor subiram de R$ 541 para R$ 553 a saca, para um padrão de bebida dura com 60 defeitos.

Nas duas últimas semanas, os preços apresentaram recuperação. No vencimento dezembro de Nova Iorque, as cotações foram de 117,55 c/lb e 116,90 c/lb. A média desse período ficou em 117,22 apresentando alta de 1.047 pontos ou 10,47 c/lb. O dólar apresentou queda, sendo cotado a R$ 5,36 e R$ 5,38 para a terceira e quarta semana; e os preços pagos ao produtor subiram, com cotações médias de R$ 594 e R$ 603 para o mesmo período.

Assim, observou-se um aumento de R$ 51,50 por saca entre os dois períodos descritos acima, ou seja: o preço passou de R$ 547, média das duas primeiras semanas, para R$ 598,50, média das duas últimas semanas de novembro de 2020. Entre o primeiro e o último dia útil do mês a diferença é ainda maior, representado alta de R$ 90 a saca – (de R$ 535 para R$ 625). Basicamente, o que motivou a recuperação de preços foi a chuva, ou melhor dizendo: a falta dela. Tudo indica que a estiagem e a irregularidade das chuvas, que ainda são insuficientes para a recuperação das lavouras e o desenvolvimento dos frutos, vá provocar uma queda significativa para a safra brasileira de 2021.

Lucio Caldeira

Lucio Caldeira

Lúcio Caldeira é professor, palestrante, consultor e escritor, atuando nas áreas de Marketing e Gestão Estratégica. É autor dos livros: A Guerra do Café; Revoluções no Café; e Batalhas do Futebol. Atua como comentarista do programa de TV - Café com TV, com os blocos – “Palavra do Especialista” e “Café e Cultura” da TV Alterosa/SBT, e é colunista da Revista Cocatrel, com as colunas: Opinião; “E por falar em Café” e “Mercado do Café”. Professor no Unis, é formado em Administração, especialista em Finanças, Mestre em Estratégia e Doutor em Marketing.

Deixe uma resposta